segunda-feira, 14 de maio de 2012

Sócrates (contra os sofistas)




Uma das grandes discussões sobre o conhecimento aconteceu com Sócrates ao contestar o método argumentativo dos Sofistas. Os Sofistas eram mestres na arte argumentativa, que vendiam seus ensinamentos a jovens da aristocracia grega para que pudessem melhor discurssar sobre temas políticos nas assembléias. Sócrates considerava o método argumentativo dos Sofistas falho, pois por meio dele poderia se convencer a respeito da veracidade de teses contrárias. Seu método, no entanto, consistia em demonstrar a contradição inerente a esses discursos, mostrando ao interloctor que, no fundo, ele não sabia do que estava falando. E assim, por meio da "ironia" (forma de conduzir o interlocutor à contradição), Sócrates demonstrava o desconhecimento do interlocutor sobre conceitos como "justiça", "piedade" (como mostra o vídeo a seguir):







De acordo com Sócrates, para se conhecer algo verdadeiramente era necessário admitir a própria ignorância, daí a célebre frase: "Sei que nada sei". 

Sócrates foi condenado à morte sob acusação de corromper os jovens. Os gregos que frequentavam as Assembleias políticas não curtiram a "ironia" e achavam muito perigoso que ela fosse ensinada gratuitamente pelas ruas de Atenas

Apenas a partir daí, do reconhecimento da ignorância, era possível conduzir a razão na busca da definição da coisa que se pretende conhecer. A "Maiêutica" era o método desenvolvido por Sócrates, por meio do qual ele acreditava ser capaz de alcançar as definições necessárias para o verdadeiro conhecimento. Este método consistia em perguntar incessantemente sobre um tema ou questão, esgotá-lo ao máximo, para que se chegar a uma definição que não pudesse ser contestada, nem contradita.

Saiba mais sobre o método Socrático:

Sócrates e os Sofistas - Danilo Marcondes; em Iniciação à História da FilosofiaI, ed. Zahar.

Ironia e Maiêutica - Ademir A.P. Mendes; em Mito e Filosofia


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário